Your address will show here +12 34 56 78
Vendedores
Veja como usar as estratégias de marketing pessoal em vendas para sair bem na fita e ainda fisgar o cliente ideal! Marketing pessoal é uma estratégia de promoção para quem procura um diferencial em vendas. Então, praticamente é saber o “vender o seu próprio peixe” para influenciar a forma como as outras pessoas olham para você. E para um vendedor de loja, isso se encaixa como uma luva. Porque no varejo é exatamente assim, é preciso se destacar na profissão para ter sucesso nas vendas. A relação que existe entre essas duas áreas, marketing e vendas, se destaca em um ambiente de loja, porque quanto mais você divulga a sua imagem, mais propaga a imagem da empresa.

Marketing pessoal – Como aplicar essa técnica

Para colocar em prática a estratégia de marketing pessoal em vendas, é preciso repensar e melhorar a sua imagem profissional diante dos clientes em primeiro lugar. Veja algumas dicas que podem te ajudar nessa missão: Dica 1 – O vestuário é um ponto chave quando o assunto é a sua imagem. Aliás, a maneira como você se apresenta durante o atendimento com o cliente precisa transmitir uma impressão positiva e confiante. Além disso, também é uma boa forma de você se sentir confortável e  bem com você mesmo.
“Vista-se para o trabalho que você quer e não para o trabalho que você tem”. Autor desconhecido.
Dica 2 – Cartão de visita, por que não? Sempre que possível, tenha em mãos alguns cartões da loja para divulgar o seu trabalho. Vendedor nato sabe que toda oportunidade de ganhar um cliente deve ser aproveitada. Até porque a gente nunca sabe quando isso pode acontecer, não é mesmo? Está também é uma boa maneira do cliente lembrar o seu nome, sem contar que você transmite empatia e mostra que está disponível para ajudá-lo quando ele precisar voltar à loja. Dica 3 – Finalmente, saiba se comunicar bem rapaz! Um bom marketeiro usa a comunicação a seu favor e com um vendedor de loja não é diferente. Saber se expressar de forma diferenciada e simpática contribui e muito para a sua carreira em vendas. Lembre-se: quando sair de casa para trabalhar, esqueça seus problemas pessoais… O foco no seu trabalho é ouro! Então, treine seu discurso e transmita entusiasmo, ninguém merece um vendedor de mal-humor. Achou o conteúdo relevante? Nos conte o que mais você gostaria de aprender aqui no blog.
3

Gerentes
Na era da experiência, o atendimento humanizado é um bônus! Então veja como usá-lo a seu favor para criar um relacionamento de sucesso com o seu cliente!  Todo mundo tem uma razão para comprar as marcas que amam. Seja por conta da qualidade dos produtos, site divertido, comunicação diferenciada, atendimento personalizado, etc. Enfim, seja qual for o motivo, quando alguém se “apaixona” por uma empresa, tudo se resume a uma coisa: experiência do cliente. Por isso, causar a melhor experiência de compra te ajuda a ter clientes mais satisfeitos. Além de atrair, reter e se relacionar melhor com cada um deles.

A importancia do relacionamento com o cliente

Há várias formas de relacionamento com o cliente e para cada tipo de relacionamento, envolve também convivência, comunicação e atitudes que devem ser recíprocas. Isso porque quando uma das partes não desenvolve os atributos necessários para uma boa convivência, o relacionamento se torna (muito) difícil.

Então, você só tem uma chance de causar uma primeira boa impressão…

As melhores experiências do cliente acontecem em menos de 10 minutos*. Por isso estar sempre bem posicionado, preparado e bem-disposto para o atendimento é tarefa básica do vendedor de loja. Apesar do esforços para tentar criar uma experiência diferenciada de compra no varejo, dados revelam que 60% dos consumidores já tiveram a intenção de fazer uma compra, mas desistiram por causa de um mau atendimento*. Aliás, segundo os dados da pesquisa da Glance, são necessárias 12 experiências para compensar uma experiência negativa.
“Os clientes se lembram mais da experiência do que eles se lembram do preço. Não importa se você tem preços competitivos, depois de fornecer ao cliente uma experiência ruim, a redenção é quase impossível.” Ruby Newell-Legner’s.
Em primeiro lugar: Nesse contexto, se destacam as marcas que usam as estratégias de relacionamento cliente. Além de incentivar a motivação dos vendedores e prestar um excelente serviço de atendimento ao consumidor.

Como uma empresa fornece uma excelente experiência do cliente?

As pessoas pensam e reagem de formas diferentes e o estudo de como fazê-las felizes é um desafio. Por isso, um excelente atendimento ao cliente começa com excelente treinamento.
“Muita gente acredita que melhorar o atendimento é um custo, mas nossos dados demonstram que investir neste serviço pode ajudar a acelerar o crescimento do negócio.” Jim Bush, Executive VP na American Express.
Fazer um investimento em experiência do cliente não deve ser considerado um custo comercial, mas uma oportunidade de vendas. Já que o boca-a-boca é uma das ferramentas de marketing (marketing de relacionamento) mais fortes, além desta ser uma estratégia que não gera investimento, é o meio que traz mais indicações de cliente, através de uma fonte em que eles confiam. Porque cliente satisfeito é cliente fiel. Por isso, durante o atendimento na loja, faça com que o cliente sinta-se a vontade de fazer questionamento. Isso demonstra que está sempre disposto a auxiliar. Então esteja informado sobre tudo e surpreenda o cliente com opiniões sobre os assuntos abordados por ele, mesmo que não seja sobre o atendimento.

Relacionamento e o propósito de servir

O boca a boca também pode ser uma arma perigosa. Críticas sobre o mal atendimento ao cliente atinge quase o dobro de ouvintes do que os elogios e a Internet também funciona como um megafone para essas reclamações*. O propósito de servir ao cliente deve ser o foco em qualquer momento durante a jornada de compra dele. Dica: faça seu cliente satisfeito ao transmitir que ele faz parte da “família”. Pergunte o nome dele e se apresente, isso causa um laço de confiança. Aliás, é muito mais fácil vender para alguém que você confia do que um estranho.

Ouça o que seus clientes têm a dizer

Nem todo mundo vai ficar satisfeito o tempo todo. Clientes que reclamam poder ser um incômodo, mas também podem ser incrivelmente valiosos. Principalmente na identificação dos pontos “a melhorar” do seu sistema de atendimento ao cliente. Além disso, os clientes “leais” são muito mais propensos a opinarem do que outros clientes. Esses clientes leais valem até 10 vezes mais do que novos clientes. E é de 6 a 7 vezes mais caro adquirir um novo cliente do que manter um existente*.

Ofereça produtos ou serviços que façam sentido ao cliente

O cliente pode se sentir desconfortável ao perceber que você está oferecendo produtos que ele não tem interesse de comprar. Aliás, tudo isso pode ficar com o sentimento de que está forçando a barra. Então, para oferecer produtos que façam sentido, questione e a partir das respostas ofereça os produtos.

Enfim, a despedida

Finalmente, ao se despedir do cliente agradeça e reforce que aguarda seu retorno. Mesmo que ele não tenha adquirido algum produto naquela oportunidade. Em muito momentos, você também é o cliente. Por isso, lembre-se: um bom relacionamento te ajuda a fidelizar seu cliente e faz com que a chance do seu retorno seja cada vez maior. * Este artigo teve como base os dados da pesquisa da Glance “O Guia Completo para Atendimento ao Cliente Dynamite” e da American Express “Barómetro Global do serviço ao cliente 2014”. Enfim, espero que o conteúdo seja relevante para a sua jornada, se puder nos dê a sua opinião nos comentários!   Até logo,
2

Varejo
Veja como usar o indicador da taxa de conversão para aumentar as vendas e também seus resultados no varejo A taxa de conversão é uma das estatísticas de venda mais importantes para o varejo, porém a mais difícil de ser medida. Aliás, ela determina a eficácia do vendedor em cada contato com o cliente na loja e também registra quantos atendimentos foram convertidos em vendas. 

Em primeiro lugar: como calcular a taxa de conversão

A conta é simples: divide-se a quantidade de pessoas que entraram na loja (fluxo de visitantes) pelo total de vendas convertidas. Assim, é possível mensurar claramente quantos atendimentos são necessários para converter vendas. Então, para aumentar o volume de vendas é preciso focar também na performance da taxa de conversão da loja em primeiro lugar. A lista da vez digital é um método que, dentre suas funcionalidades, também contabiliza a quantidade de pessoas que entram e saem da loja. O que finalmente gera a oportunidade de mensurar e devido a isso, também melhorar a sua taxa de conversão. Então, para identificar a taxa de conversão por loja ou vendedor, o conceito funciona assim: 1 . Primeiro de tudo: para toda abordagem convertida em venda, o vendedor registra na lista da vez o seu sucesso “convertido” sempre no fim de cada atendimento ao cliente. 2. E para toda abordagem que não gerou venda, o vendedor registra “não convertido” sempre no fim do atendimento.

Por isso acompanhe melhor a taxa de conversão por vendedor

Assim, no fim do dia, você consegue identificar, por vendedor, quantos atendimentos foram convertidos e quantos não. Um conjunto de informações que só se torna prática e ágil, quando feito de maneira dinâmica pela Lista da vez digital.  

Taxa de Conversão na Prática

Vendedor 1 Total vendido = R$ 1.000,00 Atendimentos realizados = 10 Conversões = 5 Taxa de conversão = 50% Quantidade de peças = 17. (média do P.A = 2,12) Ticket de médio = R$ 200,00   Vendedor 2 Total vendido = R$ 1.000,00 Atendimentos realizados = 10 Conversões = 3 Taxa de conversão = 30% Quantidade de peças = 10. (média do P.A = 3,33) Ticket médio = R$ 333,33   Média da loja no fim do dia Total vendido = R$ 2.000,00 Atendimentos realizados = 20 Conversões = 8 Taxa de conversão = 40% Quantidade de peças = 27. (média do P.A = 2,45) Ticket médio = R$ 250,00   Então, conforme o exemplo, o valor das vendas dos dois vendedores são iguais, porém a taxa de conversão de um vendedor é bem diferente do outro. Por que?

Finalmente, o que isso significa?

Isso significa que o vendedor 1 tem um aproveitamento melhor do que o outro vendedor e, como o resultado, consegue converter para um número maior de clientes que atende.   Agora, já o vendedor 2 tem as mesmas oportunidades de vendas do vendedor 1, porém consequentemente, converte menos.   A partir deste cenário é possível definir estratégias de vendas específicas para cada perfil de vendedor.   Vendedor 1 Por exemplo, para aumentar o seu ticket médio, uma boa dica é usar a estratégia da lei do contraste, você oferece primeiro os produtos de maior para o menor valor. Além disso, é necessário trabalhar as linhas de abertura, técnicas de sondagem e habilidades de comunicação para agregar mais valor ao produto   Vendedor 2 Quanto ao vendedor 2, percebemos que, apesar de ter a mesma oportunidade de vendas que o vendedor 1, ainda assim não consegue dar a mesma atenção ao cliente, quando está em múltiplos atendimentos.   Porém, a qualidade deste vendedor é que quando está focado em um único cliente consegue trabalhar melhor a venda e vender mais para este único cliente. Por isso seu P.A e Ticket médio são mais altos que a média. Neste caso, o vendedor deve desenvolver sua capacidade dinâmica e também a técnica para contornar objeções e quebrar o gelo em momentos de múltiplos atendimentos. Essa é uma boa solução! =)   Enfim, as orientações são bem diferentes, não é? Por isso o que é mais importante é vender para o cliente, depois vender mais para cada um deles.   Obs: Todo cliente que entra na loja é considerado uma oportunidade de venda. Inclusive aqueles clientes que entram na loja procurando alguma coisa que a loja não oferece ou pedindo informação. Então, todos os vendedores têm chances iguais de ter sua parcela desses clientes, assim, as estatísticas certamente serão justas a longo prazo. . Achou o conteúdo relevante? Teve algum ponto ou outro que você não entendeu do artigo? Nos conte quais métodos ou recursos você gostaria de aprender aqui no blog sobre produtividade, performance, salão de vendas e tudo o que envolve o universo do varejo!   Abraços,
0

Vendedores
Se inspire em atitudes de vendedores de sucesso e veja como colocar isso em prática!   Já ouviu falar naquela expressão “Nada se inventa, tudo se copia”? Então.. Não é bem assim. Mas em vez de copiar, que tal se inspirar nas ideias que deram certo? Em um mundo competitivo como o do varejo, quem não se reinventa fica por fora. Principalmente quando falamos de vendas! Quem sabe do que eu estou falando, entende que é preciso fazer a diferença para se destacar neste mercado. Existem milhares de histórias inspiradoras que eu poderia compartilhar aqui com você. Mas, o que realmente dá certo é o que na prática, “de cara” com o cliente, se converte em venda. Porque não adianta o gerente ser bom, os produtos de ótima qualidade, com bom preço. Se a equipe de vendas não manda bem, no fim do dia não bate a meta. Por isso, separamos os 6 principais hábitos dos vendedores de sucesso para você se inspirar!

1. Pense grande, supere os seus limites!

Em primeiro lugar, um ótimo vendedor transforma os próprios desafios em motivação para superar os resultados diários, não é mesmo? Então redefina o seu papel como vendedor, desenvolva um pensamento inovador e criativo como uma nova abordagem para chegar ao resultado esperado.

2. Treine, treine e treine vendedores

Aliás, vender nunca foi tão difícil e por isso é tão importante exercitar o seu conhecimento sobre o produto e as técnicas de vendas. Os Feedbacks, por exemplo, são uma excelente estratégia para descobrir qual ponto precisa ser melhorado. Busque conhecimento sempre!

3. Veja o copo meio cheio, não meio vazio.

“Concentre 90% do seu tempo em soluções e apenas 10% nos problemas.” (Anthony J. D’Angelo) Bons vendedores não justificam erros ou resultados ruins. Procure soluções. Porque grandes vendedores não usam “bengalas”. Eles não se apoiam na dificuldade da economia, na época do ano ou nos erros de outras pessoas para justificar baixos resultados. Em vez disso, focam na solução dos problemas para melhoria dos indicadores. Lembre-se: desafie-se sempre, mesmo que pareça tentador desistir.

4. O importante não é o que você diz, mas como os vendedores escutam

Além disso, tenha consciência do impacto que você provoca nas pessoas. Porque bons vendedores escutam o que os clientes têm a dizer para descobrir exatamente quais os seus desejos de compra.  Com isso, você aprende como agregar valor e apresenta novos enfoques.

5. Faça um cliente, não uma venda

“Você nunca fecha uma venda, você abre uma relação a longo prazo.” (Dennis Waitley) Todo cliente bem atendido, volta. Por isso use todas as suas energias para causar a melhor experiência de compra para o seu cliente. Também trate cada atendimento como único e trabalhe com o sorriso no rosto. =)

6. Seja movido por resultado

Finalmente meta é foco! Já dizia, Jim Cathcart, autor e criador original do conceito de Selling: todos os dias torne-se a pessoa que atrairia os resultados que você procura. “É o grau do comprometimento que determina o sucesso.” — Alex Batista Ramos Achou o conteúdo relevante? Nos conte quais métodos ou recursos que você gostaria de aprender aqui no blog sobre varejo, vendas, performance e produtividade e tudo que acontece no universo do varejo. Abraços,
3