Your address will show here +12 34 56 78
Gerentes

Veja as principais dicas que a especialista de decoração de vitrine separou para você alavancar suas vendas no varejo físico!

Você, Gerente de loja, certamente se preocupa em ter um estoque bem organizado, uma loja impecável, uma equipe bem treinada e com certeza um excelente atendimento de vendas para converter os visitantes em clientes para sua loja, não é mesmo?

Mas, você sabia que mais de 40% das vendas são realizadas tendo como estímulo um fator externo: a vitrine da sua loja? Segundo a pesquisa feita pelo Sebrae, dados revelam que uma vitrine atraente e bem organizada pode ampliar as vendas do comércio físico.

“A vitrine é o rosto da loja, o chamariz que encanta e convida o cliente a entrar. Quando está bem montada, 50% do trabalho está feito! Já os outros 50% quem garante são os vendedores, uma equipe de vendas bem preparada para o trabalho”, afirma Graziella Rebello, designer de interiores e especialista em decoração de vitrine.

Uma vez o cliente dentro da sua loja, você tem o poder de fazer a diferença e de atendê-lo da melhor maneira possível para converter mais vendas!

1. Conheça profundamente o seu público

Dado este passo, a designer de interiores explica que quando o assunto é decoração de vitrines no varejo, outro fator importante é a intensa compreensão do seu público alvo. Ou seja, por que ele vem até a minha loja? Quais suas principais expectativas com a minha marca? Como posso ajudá-lo neste objetivo?

A partir dessa análise, é o momento de preparar, estrategicamente, a decoração da sua “casa” e realizar um excelente atendimento ao cliente! Isto porque, uma vez que o cliente entra na loja, boa parte do processo das vendas consiste em servi-lo de maneira consistente, oferecendo a melhor solução para o seu “problema” ou necessidade.

2. Fique atento às principais tendências de decoração de vitrine

“O vitrinista é responsável pela montagem e decoração da vitrine. Este profissional precisa estar atento às tendências, ao estilo da loja e principalmente à diversidade dos produtos”, explica Rebello.

Para garantir que a decoração da vitrine da sua loja alcance o seu público adequadamente, é preciso que você Gerente se atualize e acompanhe as principais novidades e tendências de moda! Para que, quando bem executado, este trabalho garanta uma experiência do cliente diferenciada na vitrine. Assim você vende mais que um produto, vende um sonho de consumo. As vitrines das lojas mais criativas do mundo seguem esta linha!

3. Planeje a disposição dos produtos

Além de ter noções de moda e organização de espaços, um bom conhecimento em planejamento é tão importante quanto! Isso porque, boa parte do trabalho do design de interiores consiste em planejar!

Planejar o objetivo da decoração. Escolher qual cenário e história contar. Planejar a combinação de cores. A distribuição dos produtos na vitrine, quais produtos devem ter destaque, quais não. Se há algum lançamento ou coleção para expor, etc…

Um trabalho criativo que também pede uma formação criativa, como explica a designer “A criatividade é a principal característica de um vitrinista. Geralmente, os profissionais que atuam nessa área têm formação em design de interiores, publicidade ou propaganda”, diz.

4. Busque sempre algo novo, reinvente-se!

O varejo é extremamente dinâmico e suas ideias também precisam ser! “Invista em um profissional qualificado para essa função. Garanta a originalidade da vitrine da sua marca, busque fazer sempre algo novo, reinvente-se!”, avisa Rebello.

Em alguns segmentos, além da beleza, o conforto também é muito importante, ok?! Além disso, crie um tema, conte uma história que se identifique com a identidade da sua marca. Isso chama a atenção e atrai clientes! Esta é a função do vitrinista!

Vale lembrar que as tendências como alguns pensam, não têm a ver somente com a cor ou estampa que está na moda. Elas refletem o comportamento atual do ser humano, seus desejos e hábitos. “As tendências materializam todo esse movimento no mundo, tudo o que acontece e influencia o nosso cotidiano”, explica.

5. Agora, como deixar uma loja bem arrumada?

Enfim, para finalizar lembre-se que além de um profissional especializado, a equipe que está no dia a dia da loja, também é responsável por deixar a loja bem arrumada e manter as coisas nos seus devidos lugares “A ajuda dos vendedores é essencial para o sucesso da decoração de vitrine, mantendo a harmonia e equilíbrio deste trabalho”, finaliza.


0

Gerentes, Vendedor

Gerentes, vejam o que não fazer para evitar que a meta do mês vá para o brejo

O comércio varejista está em crescimento e as pesquisas sobre consumo sustentam essa previsão de alta. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a CNC, o consumidor está 12,6 % mais confiante para comprar a curto prazo em comparação a março de 2017.

Por isso, com crescimento elevado nesta área, a demanda por profissionais especializados no atendimento ao público e gerenciamento de vendas também cresce.

Nessa realidade, os gerentes estão à frente da equipe de vendas e ocupam posição de destaque quando o assunto é acompanhar esse ritmo de vendas e principalmente bater meta! Aliás, haja responsabilidade! 

Abaixo listamos 05 erros de gerentes de loja que não batem metas:

1) Não ter cultura de Feedback

Em primeiro lugar, os vendedores precisam de um retorno sobre o seu desempenho, mesmo que ele seja ruim. Porque, com uma equipe motivada e orientada de acordo com seus próprios resultados, as vendas melhoram cada vez mais. Outro ponto: não tenha medo de dar um feedback negativo. Então, reforce as qualidades de cada vendedor e mostre qual caminho ele deve seguir para ser melhor a cada dia!

2) Não se basear em dados

“Se você não pode medir, não pode gerenciar”. Essa frase é a mais famosa do pai da administração moderna, Peter Drucker. Saber a taxa de conversão por vendedor (quanto cada um vendeu em relação ao que atendeu) traz informações importantes relacionadas ao desempenho da equipe e ainda facilita a definição de planos de ação. Tais como treinamentos, orientações e outras medidas gerenciais. Dessa forma, estar consciente dos números deve ser mais que uma tarefa diária, mas uma cultura de dados. 

3) Não escutar a equipe

Outro ponto essencial na relação dos gerentes do varejo com sua equipe é a escuta ativa. Porque se você estiver atento ao que vendedor diz, é mais fácil absorver informações importantes para a tomada de decisão. Mesmo que em um cenário de vendas ruins.  Além de poder entender com mais profundidade o perfil dos clientes. Cada vendedor é um fator importante na construção de informações estratégicas da loja. Como por exemplo os motivos de não conversão.

4) Não estabelecer planos de ação

Então, um bom gerente que entende os elementos envolvidos no desempenho da equipe (taxa de conversão por vendedor, P. A., percentual individual da meta, etc) já tem as ferramentas para criar um plano de ação, exemplo:

1. Identificar os pontos a melhorar em cada um dos vendedores em busca de um acordo entre gerência e equipe pelo resultado esperado. Mesmo que pareça uma atividade desafiadora, este é o primeiro passo para a evolução.

2. Utilizar os dados alcançados para simular cenários positivos traz uma expectativa otimista para a equipe e a direciona para o sucesso! Aliás, informação é o tudo!

O plano de ação funciona como uma bússola que mostra qual o caminho seguir para chegar no objetivo esperado.

5 ) Não administrar o tempo do gerente

Finalmente o tempo. O tempo é um recurso precioso para o perfil gerente varejo, que muitas vezes se vê em um labirinto de procedimentos e processos que tomam muito do seu tempo. O papel do gerente é se concentrar nas ações estratégicas da loja. Porque se a equipe de vendas fosse um time de futebol, a função de gerente de loja seria de armador! Ele deve trabalhar sempre em conjunto com a sua equipe e facilitar todas as oportunidades para o time marcar o gol. =)



Espero que essas dicas sejam úteis na caminhada rumo ao sucesso!





0

Gerentes, Vendedores

Saiba mais sobre o indicador de desempeno taxa de conversão e quais estratégias usar para reverter este cenário nas vendas!


Você já parou para pensar que, assim como a Taxa de Conversão, há outros indicadores de desempenho do varejo importantes de serem analisados e que impactam diretamente no valor total das vendas?


Pode parecer uma situação incomum. Mas é possível ter o indicador taxa de conversão acima da média e mesmo assim este resultado não refletir nas vendas. Ou seja, continuar com vendas baixas, é um cenário muito comum no varejo físico. Mas, por que será que isso acontece?

Taxa de conversão o que é?

Antes disso, precisamos entender o que é taxa de conversão. Em resumo, a taxa de conversão é uma dos indicadores mais importantes para as vendas no varejo. Porém, também é o mais difícil de ser medido. Ou seja, este indicador determina a eficácia do vendedor em cada contato com o cliente na loja e também registra quantos atendimentos foram convertidos em vendas.


Apesar de ser o indicador de desempenho mais importante do varejo, dentro de uma gestão de vendas, ele não é a única informação que deve ser analisada neste contexto. Este é um dos problemas na área de vendas, porque para entender a performance da loja por completo, é preciso analisar outros indicadores que também impactam diretamente no resultado total das vendas, como: peças por atendimento (P.A.), ticket Médio (T.M.), motivos de não conversão etc.

Taxa de Conversão por Vendedor

Neste contexto, você percebe que esta situação ”controversa” no resultado das vendas, pode ser efeito de uma série de fatores. Por isso, o primeiro passo é identificar o que está puxando as suas vendas para o buraco! Até porque problema identificado, problema 50% solucionado.


E a taxa de conversão por vendedor é uma métrica que pode te ajudar a identificar o que está puxando as suas vendas. Quando analisado individualmente (por vendedor), esta taxa te possibilita identificar informações e estratégias específicas para rever o cenário das suas vendas.


Por exemplo, quando se analisa a taxa de conversão por vendedor é possível monitorar o desempenho de cada profissional e os reais resultados obtidos por ele. Inclusive apontar quais estratégias de venda têm sido eficazes e quais não.

Ticket Médio Baixo?

Sem contar que é possível que o seu vendedor esteja com uma taxa de conversão acima da média, mas com um ticket médio muito abaixo do esperado. Ou seja, o vendedor não consegue agregar valor nas peças!

Peças por atendimento baixo?

Pode ocorrer também de um vendedor estar fechando apenas uma produto por venda. Ou seja, ele não consegue oferecer itens adicionais, o que resulta em vendas com um ticket muito abaixo.

Assim fica mais fácil de identificar quem da sua equipe não está entregando o resultado esperado! Até a tomada de decisão fica mais fácil! 😉

Ficou mais otimista?

Entenda melhor o impacto que esta técnica pode causar no seu negócio e veja como aplicá-la com a Indeva!

0

Franqueados, Gerentes

Veja como aumentar a produtividade da equipe de vendas e tenha mais vendedores vencedores no seu time!

Uma pesquisa realizada em Harvard em 1924, conhecida como Efeito Hawthorne traz uma mensagem interessante quando o assunto é aumento de produtividade.

Com o objetivo de estudar o comportamento dos funcionários de uma fábrica de equipamentos eletrônicos em Chicago, EUA, observou-se que a simples presença dos gestores durante o estudo estimulava, e muito, o trabalho da equipe. Assim, eles se sentiam notados pelos seus líderes e importantes por fazerem parte da amostra.

Efeito hawthorne e o aumento da produtividade

Por se sentirem notados, durante a pesquisa, os funcionários desta fábrica tiveram considerável aumento na produtividade em seus trabalhos. A simples ideia de estarem sendo observados criou a percepção de que os seus trabalhos eram importantes e isso também os fizeram sentir-se membros importantes da empresa.

Esta é uma boa dica de como aumentar a produtividade de sua equipe e estimular talentos. Além disso, quando trazemos esta realidade para a área de vendas percebemos o quanto é importante ter uma estratégia que ajuda a estimular a motivação e consequentemente as vendas.

Então, para isso, como mostra na pesquisa realizada sobre o Efeito Hawthorne, é preciso observar e acompanhar o trabalho dos vendedores no salão de vendas e existem algumas práticas que ajudam neste processo.

Como aumentar a produtividade da equipe de vendas com campanhas motivacionais

Também conhecida como corridinhas de vendas. Estas campanhas motivacionais são práticas e muito usadas em ambientes das lojas físicas. Por estimular uma competição saudável em busca de um melhor resultado, esta dinâmica também incentiva a interação entre equipes distintas. Sem contar que também ajudam a melhorar o desempenho da equipe.

Dicas para campanhas de vendas:

• Primeiramente reconheça os melhores resultados. Por isso, crie premiações que estimulam uma participação ativa dos seus vendedores.

• Tenha os resultados atualizados ao longo do dia. Isto permite que o vendedor acompanhe, a cada momento, a sua posição no ranking.

• Outro ponto: crie rankings para um grupo de lojas ou vendedores. Quanto mais participantes melhor! Engaje todo o seu time de vendas. Caso tenha mais de uma loja no grupo, envolva também as equipes de todos os pontos de venda do seu negócio! Por que não?

Feedback ativo

Manter uma cultura de feedback na sua loja é tão importante quanto você imagina! Tanto para aumentar a produtividade como para o desenvolvimento profissional de cada um do time.

Simule um feedback com o melhor resultado de acordo com o indicador, a Indeva calcula para você!

Além de ser uma importante ferramenta de avaliação de desempenho, feedback é uma boa maneira de entender a evolução do trabalho realizado com os indicadores de desempenho da loja. Este progresso é importante para reconhecer os melhores vendedores.

Enfim, vale lembrar que quando registrado e realizado com periodicidade, os feedbacks criam um compromisso com os vendedores. Um eterno trabalho em busca da melhora dos indicadores de venda.


Talvez a resposta de como motivar uma equipe e elevar a produtividade esteja aí. O que nos leva a refletir: será que você está dando a atenção que a sua equipe precisa para se sentir importante e parte fundamental para o sucesso da sua loja ou lojas? Mesmo que você não tenha todas as ferramentas para usar estas estratégias, comece! Lembre-se: o varejo é extremamente dinâmico e o seu negócio também precisa ser.

0

Gerentes

Descubra qual o segredo de sucesso da Apple para fidelizar tantos clientes pelo mundo

De acordo com o site da FORBES, a Apple é a empresa mais valiosa do mundo pelo oitavo ano seguido. Valendo 8% a mais do que em 2017 com 182,8 bilhões de dólares, ela continua sendo a empresa favorita dos consumidores. Assim, graças à sua base radical de fãs, a gigante é capaz de precificar um celular em US$ 999 e conseguir vender 29 milhões de unidades em menos de dois meses, acredita?!


Foco na experiência do cliente

Quando pensamos na Apple, refletimos: o que esta empresa fez e ainda faz para que os seus clientes continuem amando tanto os seus produtos? Por qual motivo as pessoas ficam dias e dias em filas de espera para comprar um um aparelho em lançamento? O que faz alguém ser tão apaixonado por um sistema Apple e não conseguir substituir por outro que tem basicamente as mesmas funcionalidades? 


Simples: a Apple proporciona uma experiência única! Na era da experiência do cliente é exatamente esta capacidade de proporcionar esta exclusividade que a torna tão cogitada e amada. Criando fãs da marca em todos os 6 continentes do planeta.  


É este contexto que também faz com que os clientes da Apple se sintam únicos. Clientes que possuem raízes fortes com a companhia. E que aguardam ansiosamente por um novo recurso.

Uma conexão inovadora e inteligente

Outro ponto chave no relacionamento de sucesso com os clientes da Apple é a expectativa que cada cliente cria a cada novidade da empresa. Desde novos produtos a lançamento de recursos etc. É toda esta estratégia de marketing da Apple e o trabalho realizado por trás deste “despertar da curiosidade” que conecta os seus usuários com a marca. Ou seja, um cenário onde pessoas buscam valor agregado, não o preço do produto.

Experiência do cliente pede uma cultura empática

Outro ponto importante é a estratégia empresarial da Apple. Os colaboradores dentro da organização procuram ser empáticos com as dificuldades do usuário. Além disso, eles têm consciência e participação ativa na criação deste efeito “uau!” causado pela experiência Apple. O que torna a equipe muito mais próxima dos seus consumidores.  


Enfim, surpreenda! Desperte curiosidade e compartilhe experiências!

0

PREVIOUS POSTSPage 1 of 2NO NEW POSTS