Your address will show here +12 34 56 78
Gerentes

O Gerente de loja é uma figura importante no varejo físico, já que é essa pessoa responsável pela gestão dos vendedores — principal meio de contato dos clientes com a marca.


Então, para obter o melhor de cada vendedor, nunca deve se realizar comparações entre um vendedor e outro, pois cada um é diferente e possui diferentes pontos positivos e negativos.


Qualquer pessoa que esteja na liderança possui destaque por suas atribuições inerentes ao cargo e também pelo simbolismo que a posição carrega. Numa loja física, atitudes e comportamentos de um gerente são vistos como referências pela equipe, tanto pelo lado positivo quanto pelo negativo.


A comparação entre vendedores não é o caminho ideal para um Gerente obter o melhor resultado. Porém, a comparação dos vendedores com a média da loja, em relação ao resultado coletivo é muito recomendado.


Você vai saber o porquê, neste artigo. Além de também descobrir o que um bom Gerente de loja deve praticar para melhorar a gestão e resultados de toda a equipe!


Por que um Gerente de loja não deve comparar os vendedores?


Pessoas são únicas, com qualidades, defeitos, talentos e fraquezas. Diante desse fato um Gerente de loja deve tomar como primeiro passo, que ninguém é igual a ninguém, portanto, comparações são injustas.


Você já deve ter percebido em seu trabalho que enquanto um vendedor está sempre disposto a organizar a vitrine, o outro espera o cliente chegar para vender. Esses são casos comuns no dia a dia de trabalho de uma loja física e mostram diferentes características de pessoas em cargos iguais.


Usar da comparação entre vendedores para dizer que um é melhor que o outro, ou que X pessoa faz menos tarefas que outra, vai colocar a equipe contra si mesma. No final, isso só prejudica o trabalho de todos.


Sendo assim, é papel do Gerente fazer com que os vendedores se inspirem naquele vendedor que tem a melhor performance, e não competir com ele.


O que um Gerente de loja deve fazer para estimular sua equipe?


Há vários meios de se conquistar a confiança da equipe de vendas e fazer com que cada pessoa dê o seu melhor no trabalho. Com um olhar mais humanizado sobre as pessoas, dá para levantar o ânimo dos vendedores e melhorar a performance geral da loja.


Manter a organização da loja


A organização é sinônimo de responsabilidade e, principalmente, atenção e cuidado com a loja e equipe. Uma loja deve ser organizada do estacionamento ao estoque, ou seja, de ponta a ponta.


Uma organização bem administrada por um Gerente de loja promove um clima de trabalho mais fluído, dinâmico e que facilita o trabalho de todos. Tudo o que impacta positivamente nas vendas do varejo físico.


Transmitir metas consistentes e claras


Um Gerente de loja deve conhecer as metas do comércio e elaborar, juntamente com o proprietário e equipe, meios para alcançá-las. Essa elaboração deve ser baseada em como aproveitar o melhor de cada membro da equipe, para contemplar todos de forma equilibrada.


Assim, nenhuma meta fica difícil demais para um vendedor que está por exemplo, começando, ou um objetivo fica muito fácil para alguém que supera as metas todo mês.


Portanto, comunicar as metas a todos de maneira clara e fornecer todo o suporte para que os vendedores encontrem os melhores caminhos por si é uma estratégia ideal.


Fazer o controle de estoque


Um Gerente de loja deve sempre manter o estoque sob controle total, já que essa área impacta diretamente nas vendas. Ou você quer que o seu vendedor faça a venda, mas na hora de pegar o produto novinho em estoque, se depare com uma prateleira vazia?


Fazer a devida gestão de estoque é imprescindível. Para que a loja tenha recursos para os vendedores fazerem suas vendas em segurança, principalmente em grandes quantidades.


O Gerente de loja deve motivar os vendedores


A motivação é, juntamente com os recursos físicos de uma loja, o motor das vendas e da boa liderança de uma equipe de loja física.


Motivar não significa necessariamente bater palmas e jogar os braços ao alto com a equipe, durante a hora de abertura da loja. Mas sim, manter uma gestão humanizada, ouvir cada vendedor, entender o ponto de vista de cada e aconselhar todos na busca de resultados — dar uma força mesmo.


Principalmente quando as vendas estão em baixa, é hora de “organizar a casa” e fazer breves reuniões, que busquem formas de a loja vender mais. O que você estará fazendo assim, é dar uma injeção de ânimo nas pessoas.


Ter atitudes e comportamentos éticos


Chefes de Estado, líderes religiosos, empreendedores de sucesso, gerentes de loja. Não importa, todo líder transmite uma imagem por meio de suas atitudes e comportamentos.


Nesse quesito, todo cuidado é pouco, já que qualquer mínimo deslize tem uma projeção maior aos olhos da equipe. Um erro de um Gerente de loja nesse cenário pode virar motivo de fofoca e mau exemplo.


Portanto, ter uma comunicação clara, precisa e calma com toda a equipe e clientes e vestir-se adequadamente são dicas para manter uma imagem positiva.


Não se esqueça que esses fatores devem sempre vir acompanhados de um posicionamento ético. Um Gerente precisa respeitar as diferenças entre cada pessoa e manter os valores, a missão e a visão da loja, representados em sua figura de liderança.


Conduzir as pessoas ao seu melhor


A boa liderança sempre deve conduzir as pessoas a descobrirem e explorarem o seu melhor. Assim é com um Gerente de loja e seus liderados, os vendedores.


Ouvir cada pessoa, ser acessível e trabalhar a inteligência emocional para perceber em que cada vendedor é melhor, são chaves para levar a equipe ao sucesso.


Muitas vezes, um vendedor é ótimo na organização da loja, já outro sabe vender melhor uma determinada categoria de produtos, enquanto outro é o tipo “amigo do cliente”.


Entender cada personalidade que atua na loja dará um norte de quais passos adotar e de como levar o vendedor a descobrir o seu potencial e usá-lo em favor das vendas. É um trabalho a longo prazo, que vale até leitura de livros sobre liderança para alcançar melhores resultados.


Além de todas essas dicas de uma boa atuação de um Gerente de loja, é preciso também lembrar que os resultados em uma loja física são conquistados em equipe. Portanto, não se dar o mérito exclusivo de metas superadas e manter os pés no chão vai contribuir também na relação com os vendedores.


Veja também quais são as 7 dicas que todo Gerente de loja deve colocar em prática para obter resultados excelentes!


Até logo,

0

Gerentes

A experiência de uma boa trilha sonora nas lojas encantam os clientes e estimulam as compras. E a estratégia de criar uma boa playlist vai além do aumento das vendas, mas em proporcionar um ambiente adequado e que melhore a experiência dos clientes nas lojas físicas!


A música tem poder, fato. Um som relaxante acalma, já um agitado, deixa a pessoa em estado de atenção e assim por diante dentro de cada ritmo e sensação. Por isso, as playlists devem fazer parte da experiência de compra levando em consideração cada modelo de mercado. Contudo, devem ser bem dosadas para surtir o efeito nas pessoas.


Descubra neste artigo como aumentar suas vendas usando algumas técnicas para criar uma playlist perfeita para a sua loja. Conheça também opções para tocar no espaço!


Crie uma playlist de acordo com o perfil da marca e loja


Não adianta escolher um estilo sertanejo se a marca é identificada com uma postura musical mais rock’n’roll. Ou seja, tanto o som quanto, o espaço e a marca devem formar um casamento perfeito para que, assim, o efeito no aumento de vendas seja alcançado com êxito.


Você não quer afugentar os cientes da loja certo? Por isso mesmo, invista em playlists que tenham a ver com o perfil da loja. Se é infantil, de roupas masculinas femininas, calçados ou outros artigos, a trilha sonora deve condizer com cada modelo de negócio e com o perfil de clientes.


Veja só essa playlist com músicas agitadas para loja de roupas!


Conheça o seu público-alvo


O que faz toda a diferença na escolha de uma playlist adequada é o público-alvo do espaço. Além de a loja investir em músicas que tenham a ver com sua marca e posicionamento, ela também precisa saber o que os seus clientes gostam.


Também, muitas vezes, uma playlist baseada apenas no que a marca é não se comunica diretamente com o seu público. Por esse motivo, é essencial conhecer o que o público gosta, para fazer um equilíbrio perfeito entre as músicas que representam bem a marca e os clientes.


Ouça uma playlist com músicas ambiente para lojas físicas!


Conte com um profissional especializado em montar playlists, esta estratégia é um investimento forte para a experiência que você quer criar o no ponto físico.

Sempre é bom contar com uma mãozinha profissional não é mesmo? Conte com ouvidos de um expert no assunto de criação de playlists.


Esses profissionais montam, por exemplo, playlists de serviços de streaming como o Deezer e o Spotify. Para o comércio, já existem pessoas com ouvidos apurados e que estudam a jornada e perfil dos seus clientes para entender como entregar a melhor experiência através das músicas.


Ajuste o volume e aumente as vendas


O volume da música também influencia bastante o estímulo de compra no cliente. Músicas altas demais, além de atrapalharem a comunicação dentro do ambiente, causam um clima desagradável e caótico. Músicas em volume muito baixo vão dar a impressão de lugar parado, sem movimento e não causa a alegria devida.


O volume deve ser ajustado o suficiente para se espalhar pela loja toda e envolver cada cliente, sem pecar pelo excesso ou pela falta. Assim, suas vendas vão crescer cada vez mais.


Descubra uma playlist especial para o horário de abertura da loja!


Crie a acústica perfeita na loja física


Além de contar com todos os critérios para fazer suas vendas crescerem impulsionadas pela playlist certa, você deve distribuir a música pela loja física.


Pequenas caixas espalhadas pelo ambiente darão a sensação de envolvimento ao cliente. Fazendo com que a experiência do cliente se torne única e acolhedora e, da porta de entrada ao caixa, a pessoa se sinta bastante à vontade para comprar mais.


Envolva os seus clientes com essas músicas relaxantes para loja!


Além das músicas estimularem os clientes a comprarem mais, elas também ajudam os vendedores a trabalharem melhor. Afinal, eles estão no lugar o tempo todo e precisam também de estímulos para se sentirem animados e venderem mais.


Assim, fazer a playlist ideal cria o ambiente perfeito para aumentar as vendas a níveis excelentes.


Siga a Indeva no Instagram a acompanhe tudo o que acontece sobre varejo físico!


Até logo,

0

Gerentes


Gerenciar uma loja física não é uma tarefa simples. São inúmeros os desafios da operação física que ficam a cargo do gerente de loja.


Mas no dia a dia, vários fatores podem criar verdadeiros pesadelos para esse profissional. Você sabe quais são eles?


Confira a lista com os cinco problemas mais comuns que um gerente de loja precisa enfrentar. Ah, e no final você também confere a melhor dica para não ter que passar por tudo isso!


5 pesadelos que nenhum gerente de loja quer passar



1 – Não bater meta

Primeiro de tudo, o grande objetivo de toda loja do varejo é atingir sua meta de vendas. Não alcançar esse número significa que todo o trabalho não está gerando o resultado esperado.


E para que as metas, de fato, sejam alcançadas, a liderança é fundamental, afinal, o gerente é um dos principais responsáveis por apoiar a equipe rumo a meta e estabelecer objetivos reais, que possam ser alcançados.


2 – Ter um vendedor mal preparado ou “preguiçoso”


O pior vendedor é aquele que durante o processo de vendas utiliza um discurso diferente daquele que a empresa prega ou recomenda. Ou seja, quando o responsável pela venda está mal preparado ou até mesmo com preguiça de fazer da maneira correta.


A visão de quem está sendo atendido pelo vendedor acaba gerando outros impactos negativos, como uma propaganda ruim da loja. Usar a técnica CVBA adequadamente poderia mudar todo esse cenário.


3 – Não ter produto em loja para vender


Já falamos sobre não bater a meta. Mas outro ponto tão ruim quanto é passar pelo pesadelo de ter um cliente pronto para comprar, mas sem o produto que ele precisa disponível no estoque da loja.


Esse é um dos piores cenários justamente por ter que perder a venda.


Isto ocorre por uma série de erros, seja por uma compra errada no volume do produto ou até por não saber quais são os produtos que precisam ter estoque. Ao identificar os motivos de perda de venda da sua loja, você já dá um passo para não ter que se preocupar com falta de produtos.


4 – Não ter informação de clientes na loja


Para todo gerente de loja, as informações sobre os clientes que acessam a loja são essenciais para conseguir pensar em ações, estratégias e até corrigir erros comuns.


Sem informações, como saber quais são os pontos de melhoria para implementar na loja? Acompanhe as informações mais importantes dos seus clientes, como os motivos de perda de venda, os horários de maior fluxo da loja etc.


5 – Preencher planilhas


Processos complexos e manuais que demandam tempo acabam sendo um dos pesadelos do gerente também. Claro que esses dados serão importantes para acompanhamento de resultados, mas esse trabalho priva o gerente de atuar nas principais frentes que precisa na loja.


Acompanhar, liderar o time e ficar presente para apoiar em todas as necessidades deve ser a prioridade. Por isso que automatizar processos ajuda a manter o gerente em posição de destaque em frente as vendas.


Veja como não passar por isso


A lista de problemas que um gerente de loja precisa resolver parece não ter fim. Mas ao invés de focar neles, que tal já implementar uma solução para mudar essa realidade?


Para não passar por isso, o melhor caminho é buscar tecnologias que consigam evitar ou até mesmo resolver a maioria desses problemas.


Uma delas, que consegue resolver grande parte dessa lista, é a plataforma de performance no varejo. E os benefícios gerados por ela, conectando o gestor com a equipe, são os mais variados possíveis:


– Relatórios e números automaticamente
– Taxas de conversão por vendedor
– Motivos de não conversão
– Horário completo com as ações de cada um
– Gerenciamento de metas em tempo real


Você se identificou com alguns dos pesadelos relatados aqui? Então convidamos a compartilhar este conteúdo com seus colegas para que eles também saibam como resolver todas essas questões!


Até logo,

0

Gerentes

Inovar através do investimento em novas tecnologias. Esse é um caminho mais do que natural para a maioria das empresas hoje em dia. Só que muitas vezes, o engajamento da equipe se torna um obstáculo para a implantação de novas tecnologias.


De nada adianta uma empresa contratar uma solução ou tecnologia se o time envolvido no processo não está disposto ou apto ao uso e engajamento da solução. Por isso que o alinhamento e trabalho em equipe são importantes quando as marcas tentam inovar no varejo físico!


É justamente por isso que neste conteúdo nós vamos abordar essa questão e mostrar saídas que podem ser aplicadas para diminuir essa “resistência” dentro das equipes que serão mais impactadas. Confira!


Qual o pensamento que a equipe de vendas tem sobre tecnologia?


A comodidade de saber o que fazer com processos manuais é visto como uma vantagem por boa parte dos colaboradores de uma empresa. Afinal, eles conseguem ter um sentimento de segurança no seu cargo por já conseguir aplicar e executar aquilo que é realizado rotineiramente.


Na equipe de vendas, por exemplo, esse pensamento passa por todos os momentos de atuação nos pontos físicos de venda. A maioria dos vendedores ainda não conseguiram ter a experiência de utilizar algum tipo de tecnologia no seu dia a dia de trabalho, seja para melhorar sua abordagem ou manter o controle sobre os resultados que consegue gerar.


Transformar esse pensamento, ou seja, a mudança de mindset, é um dos passos básicos antes do processo de inovação em uma empresa, principalmente se ela for direcionada para o time de vendas, que pode evoluir muito a partir da implementação de tecnologias de apoio.


Isso deve ser feito nos primeiros passos, para que essa resistência seja quebrada. E alguns passos que podem ajudar nesse processo são:

– Apresente as vantagens a curto, médio e longo prazo, para ajudar a visualizar o que é mais fácil de alcançar nesse momento.
– Estabeleça comparações entre o que é possível analisar de resultados hoje e o que pode ser analisado a partir do engajamento com as novas soluções.


4 dificuldades para obter engajamento durante o processo de inovação


A empresa deve entender o que realmente significa inovação para poder executá-la. Ideias disruptivas não são simplesmente formas de sair da zona de conforto, mas sim de encontrar um caminho para melhorar seus resultados.


Então veja agora as principais dificuldades que as empresas enfrentam quando o assunto é o engajamento dos colaboradores com as inovações implementadas:


1 – Dificuldade de se familiarizar com a tecnologia


Um dos primeiros pontos que podemos observar como dificuldade dentro desse cenário de mudança e inovação é a questão de familiarização com a tecnologia.


Na prática, existem alguns obstáculos para que as pessoas entendam a importância de inovar. Esses pontos vão desde o apego às ferramentas usadas atualmente até uma certa resistência a mudanças.


Mas para superar essa dificuldade, é importante buscar soluções que tenham uma interface intuitiva e sejam fáceis de implementar. Essas características fazem toda a diferença, pois ajudam nesse novo processo de entendimento sobre o seu funcionamento, em comparação com o que já estava estabelecido antes.


2 – Olhar do gestor sobre a mudança


Ver a tecnologia como um dificultador e não facilitador. Esse ainda é um grande problema enfrentado nas empresas por conta de uma visão mais antiga dos gestores.


Essas figuras dentro das empresas, como do profissional que realiza toda a parte de gestão de vendas, não possuem muita prática com essas novas soluções. Mas o importante é ter um trabalho focado em observar quais as principais inovações que estão surgindo para entender e adaptar a sua própria realidade.


A convergência dos domínios digital e físico está causando enormes transformações nos ambientes de trabalho, resolvendo problemas que antes eram fonte de grandes dores de cabeça para as organizações.


3 – Falta de disciplina para incorporar a mudança na rotina


Quais as formas de inovar na prática, indo além do uso de soluções digitais? É preciso utilizar ao máximo as funcionalidades para potencializar os resultados! Ou seja, o engajamento contínuo, para aprender todas as possibilidades existentes a partir da inovação, é um dos passos fundamentais para que ela realmente aconteça.


Contudo, nada vai funcionar do dia para a noite. Por isso existe a importância de incorporar essa mudança na nova rotina de forma contínua, estabelecendo uma nova disciplina.


A tarefa de reorganizar a cultura organizacional da área de vendas para ações mais disciplinadas, fazendo todos operarem em um mundo novo onde a mudança é uma constante, deve ser uma das prioridades em qualquer operação.


4 – Falta de conhecimento básico sobre tecnologia


Um fator que poucas vezes é levado em conta no momento de inovar é a falta de conhecimento básico sobre a tecnologia como um todo. Profissionais mais experientes, que nunca tiveram esse contato mais próximo de soluções digitais no trabalho, acabam sentindo dificuldades maiores com essa mudança.


A idade, por exemplo, é um fator determinante para entender o nível de conhecimento sobre as funcionalidades das soluções e inovações atuais. Mas é claro que essa dificuldade pode ser superada! É preciso apenas que os profissionais estejam dispostos a abrir mão do uso de métodos convencionais e partir para um caminho diferente.


Precisamos falar sobre a experiência de compra


É fácil perceber que hoje, a experiência de compra de um cliente faz toda a diferença no momento de decidir entre a loja X e a loja Y.


Com a ascensão dos e-commerces, é visível que os sistemas conseguem proporcionar uma experiência única, entregando sugestões e facilitando o processo de compra. Mas e no ponto físico, é possível proporcionar esse tipo de experiência?


Claro que sim! Basta entender o que faz a diferença para o seu público e inovar, buscando formas diferentes de entregar essa experiência completa.


Nesse caso, o engajamento da equipe precisa ser contínuo, se comprometendo e entregar uma experiência única, que se diferencie dos seus concorrentes, a partir da inovação. Com todos os membros entendendo a importância, fica muito mais fácil de ver resultados com sua estratégia de inovação.


Agora que já conheceu todos os detalhes que estão por trás do engajamento dos colaboradores com as inovações e mudanças, que tal compartilhar qual a maior dificuldade enfrentada e como lida com ela para resolvê-la? Comente aqui como têm sido as experiências com novas tecnologias na sua loja física!


Até logo,

0

Gerentes

Gerenciar uma loja física exige a orientação da equipe de vendas para o alcance das metas. Para guiar o time, é essencial fazer um bom planejamento e alinhamento. Contudo, há vários pontos que devem ser considerados para fazer uma reunião produtiva.


Fazer uma reunião assertiva de equipe exige uma série de passos que um gerente deve ter, para não perder nem seu tempo e nem o da equipe. Assim, o líder passa uma mensagem clara e objetiva, para que todos tirem dúvidas e apresentem novas ideias.


Descubra neste blogpost, como você deve planejar uma reunião de vendas na loja e realizá-la, garantindo melhorias de produtividade e eficiência!


Equilibrar o autoritarismo X democracia na reunião da loja física


Reuniões são momentos em que há sempre dois lados: o do autoritarismo e o da democracia. Distinguir cada um desses pontos é importante, pois, caso a balança pese mais para um ou outro, a reunião não será nada produtiva.


Autoritarismo

No lado do autoritarismo, centralizar todo o discurso e reter todas as informações faz com que os funcionários se sintam sem espaço para contribuir. Assim, eles ficarão com uma má impressão da gerência e de como a loja lida com seus colaboradores. Sem contar que esse é um dos principais motivos que deixa uma reunião frustrante.


Democracia

No lado democrático, os colaboradores podem expor suas ideias, fazer sugestões e dar feedbacks, para trazer mais pontos de vista sobre os tópicos abordados. Fatores que colaboram para que o gerente tenha um panorama sobre erros e acertos da loja, elaborando melhores estratégias para melhorias.


Como ponderar os dois lados

Entretanto, em alguns momentos um gerente deve assumir um papel autoritário, estabelecendo que alguns pontos de uma reunião não serão abertos “para votação”. Contudo, em outros aspectos, a gerência deve ser democrática e buscar opiniões diversas.


Ou seja, um gerente deve buscar o equilíbrio nessa balança para que a reunião seja, de fato, produtiva.


Planejar a pauta da reunião


Fazer uma reunião produtiva em uma loja física exige que você delimite uma pauta com todos os tópicos, com certa antecedência. Desta forma, você garante que apenas os pontos selecionados serão discutidos.


Apresentação de novos colaboradores e a saída de outros

Quando a loja contrata novos vendedores, você deve reunir todos da loja física para fazer as boas-vindas ao novo colaborador. Ainda, deve ser oferecido um espaço curto na reunião para a pessoa nova se apresentar aos colegas.


O mesmo momento é propício para avisar a equipe sobre quando um funcionário já não faz mais parte do quadro interno. É papel sempre do gerente comunicar o time da loja física sobre a saída de um funcionário, sem revelar detalhes e motivos — o anúncio deve ser breve e objetivo.


Falta de produtos, apresentação de novos produtos

Ao mesmo tempo em que a loja física começa a trabalhar com um produto novo, a equipe deve ser informada na reunião. Dedicar um tempo a esse tópico é importante para esclarecer todas as características e qualidades do produto.


Também, a equipe deve ser alertada sobre a falta de produtos na loja e previsão de recebimento de mercadorias. Por isso, fazer a gestão de estoque para ter sempre o produto em qualquer momento, é essencial.


Técnicas de vendas e atendimento ao cliente

As técnicas de vendas e atendimento ao cliente em lojas físicas sempre devem ser reforçadas e atualizadas em reuniões específicas. Você pode dedicar reuniões inteiras a esse assunto, já que precisam de tempo mais extenso para apresentar os métodos.


Simulações devem ser feitas, para exemplificar as técnicas e trazer para a prática, situações que vão acontecer com qualquer membro da equipe de vendas. Esse preparo garante mais segurança e confiança aos colaboradores e mostra também a preocupação da loja com os vendedores.


Alterações de procedimentos e regras

Esse assunto é um dos mais importantes, portanto deve ser um dos primeiros a serem abordados numa reunião de loja física. Tudo referente às políticas internas precisa ser sempre comunicado, para evitar o famoso “ninguém me avisou” ou “eu não sabia”.


Reconhecimento coletivo e individual

Elogie em público e critique em particular. Essa máxima funciona em qualquer ambiente e não seria diferente na loja física.


Esse feedback pode ser feito ao final da reunião, para deixar a equipe ou o funcionário prestigiado com a ideia reforçada. O que dá um ânimo a mais para ele conquistar mais metas e trabalhar melhor.


Promoções, brindes e descontos

Promoções, descontos e brindes devem ser informados a todos da equipe logo no início da reunião. Especificar quantidade do produto em estoque, detalhes da promoção e condições de descontos é imprescindível para evitar erros da equipe.


Metas, desafios e bônus

Incluir metas, desafios, bônus e premiações para a equipe é ótimo para que todos se empenhem em vender mais. Esse tópico deve ser muito bem definido entre gerência e direção da loja, para ter respostas para dúvidas que inevitavelmente vão aparecer.


Você também precisa se preparar para trazer informações e argumentos convincentes, para lidar com possíveis objeções ou reclamações da equipe.


Brainstorm

Uma reunião serve como um grande encontro para um brainstorm em uma loja física. Esse recurso abre espaço para toda a equipe trazer novas ideias e discutir melhorias para o local.


Para fazer um brainstorm de sucesso, comunique com antecedência aos colaboradores — avise ao final da reunião anterior. Sejam sugestões para melhorar a vitrine, organizar o estoque ou expor os produtos, o brainstorm deve levantar a opinião de todos.


Estipular o tempo de duração

O tempo de duração de uma reunião de loja física é muito importante, afinal, com a correria do dia a dia de trabalho em um varejo físico, não é fácil reservar esse momento. Para isso, deve-se planejar com antecedência os pontos a serem abordados na reunião, sua duração máxima e o tempo de cada tópico.


Uma reunião produtiva de loja física, em média, deve ser de até 40 minutos, porém, esse tempo é para uma reunião mensal. Reuniões em que os assuntos sejam de rápida orientação devem ser curtas, para a otimizar e tornar a hora eficiente.


Um gerente ainda deve se ater que, ao estabelecer um tempo de reunião, deverá cumpri-lo com assiduidade, começando e terminando no horário estipulado. Isso mostra controle da situação e respeito a todos da equipe.


Ainda, assuntos que não façam parte do que foi definido para a reunião, ou feedbacks e críticas que surgirem na hora, devem ser “cortados” do momento. Esses assuntos periféricos atrapalham a produtividade da reunião e podem ser abordados em outro meeting.


Determinar uma frequência


Nem todas as reuniões são iguais, tanto em tempo e assuntos, por isso mesmo você deve fazer uma organização de cronogramas, baseando-se nesses aspectos.


Uma reunião semanal é suficiente para colocar os assuntos mais prioritários em dia, como informar a equipe sobre novidades da loja, normas e produtos. Já assuntos que devem ser reforçados e não tem tanta urgência podem ser distribuídos durante o mês, em pequenos encontros com a equipe.


Dúvidas, feedbacks e sugestões podem ficar para reuniões curtas, após ou antes de uma reunião mais longa. Assim, a equipe e você têm tempo de se organizar e pensar mais, para trazer melhorias para a loja.


Diante de todo esses pontos sobre como planejar e realizar uma reunião produtiva de loja física, fica mais simples e objetivo conduzir esse momento com a equipe. Ainda, é papel do Gerente registrar todos os feedbacks sobre os pontos de melhorias e levantá-los nas reuniões seguintes.


Esse acompanhamento ajuda você a criar planos de ação mais consistentes e identificar com facilidade, todos os resultados das melhorias na loja física. Além de constatar erros e eliminá-los de vez da loja.


Curtiu o conteúdo? Acompanhe as novidades no blog pelas redes sociais, siga-nos no Instagram!


Até logo,

0

PREVIOUS POSTSPage 1 of 5NO NEW POSTS