Your address will show here +12 34 56 78
Gerentes

O Gerente de loja é uma figura importante no varejo físico, já que é essa pessoa responsável pela gestão dos vendedores — principal meio de contato dos clientes com a marca.


Então, para obter o melhor de cada vendedor, nunca deve se realizar comparações entre um vendedor e outro, pois cada um é diferente e possui diferentes pontos positivos e negativos.


Qualquer pessoa que esteja na liderança possui destaque por suas atribuições inerentes ao cargo e também pelo simbolismo que a posição carrega. Numa loja física, atitudes e comportamentos de um gerente são vistos como referências pela equipe, tanto pelo lado positivo quanto pelo negativo.


A comparação entre vendedores não é o caminho ideal para um Gerente obter o melhor resultado. Porém, a comparação dos vendedores com a média da loja, em relação ao resultado coletivo é muito recomendado.


Você vai saber o porquê, neste artigo. Além de também descobrir o que um bom Gerente de loja deve praticar para melhorar a gestão e resultados de toda a equipe!


Por que um Gerente de loja não deve comparar os vendedores?


Pessoas são únicas, com qualidades, defeitos, talentos e fraquezas. Diante desse fato um Gerente de loja deve tomar como primeiro passo, que ninguém é igual a ninguém, portanto, comparações são injustas.


Você já deve ter percebido em seu trabalho que enquanto um vendedor está sempre disposto a organizar a vitrine, o outro espera o cliente chegar para vender. Esses são casos comuns no dia a dia de trabalho de uma loja física e mostram diferentes características de pessoas em cargos iguais.


Usar da comparação entre vendedores para dizer que um é melhor que o outro, ou que X pessoa faz menos tarefas que outra, vai colocar a equipe contra si mesma. No final, isso só prejudica o trabalho de todos.


Sendo assim, é papel do Gerente fazer com que os vendedores se inspirem naquele vendedor que tem a melhor performance, e não competir com ele.


O que um Gerente de loja deve fazer para estimular sua equipe?


Há vários meios de se conquistar a confiança da equipe de vendas e fazer com que cada pessoa dê o seu melhor no trabalho. Com um olhar mais humanizado sobre as pessoas, dá para levantar o ânimo dos vendedores e melhorar a performance geral da loja.


Manter a organização da loja


A organização é sinônimo de responsabilidade e, principalmente, atenção e cuidado com a loja e equipe. Uma loja deve ser organizada do estacionamento ao estoque, ou seja, de ponta a ponta.


Uma organização bem administrada por um Gerente de loja promove um clima de trabalho mais fluído, dinâmico e que facilita o trabalho de todos. Tudo o que impacta positivamente nas vendas do varejo físico.


Transmitir metas consistentes e claras


Um Gerente de loja deve conhecer as metas do comércio e elaborar, juntamente com o proprietário e equipe, meios para alcançá-las. Essa elaboração deve ser baseada em como aproveitar o melhor de cada membro da equipe, para contemplar todos de forma equilibrada.


Assim, nenhuma meta fica difícil demais para um vendedor que está por exemplo, começando, ou um objetivo fica muito fácil para alguém que supera as metas todo mês.


Portanto, comunicar as metas a todos de maneira clara e fornecer todo o suporte para que os vendedores encontrem os melhores caminhos por si é uma estratégia ideal.


Fazer o controle de estoque


Um Gerente de loja deve sempre manter o estoque sob controle total, já que essa área impacta diretamente nas vendas. Ou você quer que o seu vendedor faça a venda, mas na hora de pegar o produto novinho em estoque, se depare com uma prateleira vazia?


Fazer a devida gestão de estoque é imprescindível. Para que a loja tenha recursos para os vendedores fazerem suas vendas em segurança, principalmente em grandes quantidades.


O Gerente de loja deve motivar os vendedores


A motivação é, juntamente com os recursos físicos de uma loja, o motor das vendas e da boa liderança de uma equipe de loja física.


Motivar não significa necessariamente bater palmas e jogar os braços ao alto com a equipe, durante a hora de abertura da loja. Mas sim, manter uma gestão humanizada, ouvir cada vendedor, entender o ponto de vista de cada e aconselhar todos na busca de resultados — dar uma força mesmo.


Principalmente quando as vendas estão em baixa, é hora de “organizar a casa” e fazer breves reuniões, que busquem formas de a loja vender mais. O que você estará fazendo assim, é dar uma injeção de ânimo nas pessoas.


Ter atitudes e comportamentos éticos


Chefes de Estado, líderes religiosos, empreendedores de sucesso, gerentes de loja. Não importa, todo líder transmite uma imagem por meio de suas atitudes e comportamentos.


Nesse quesito, todo cuidado é pouco, já que qualquer mínimo deslize tem uma projeção maior aos olhos da equipe. Um erro de um Gerente de loja nesse cenário pode virar motivo de fofoca e mau exemplo.


Portanto, ter uma comunicação clara, precisa e calma com toda a equipe e clientes e vestir-se adequadamente são dicas para manter uma imagem positiva.


Não se esqueça que esses fatores devem sempre vir acompanhados de um posicionamento ético. Um Gerente precisa respeitar as diferenças entre cada pessoa e manter os valores, a missão e a visão da loja, representados em sua figura de liderança.


Conduzir as pessoas ao seu melhor


A boa liderança sempre deve conduzir as pessoas a descobrirem e explorarem o seu melhor. Assim é com um Gerente de loja e seus liderados, os vendedores.


Ouvir cada pessoa, ser acessível e trabalhar a inteligência emocional para perceber em que cada vendedor é melhor, são chaves para levar a equipe ao sucesso.


Muitas vezes, um vendedor é ótimo na organização da loja, já outro sabe vender melhor uma determinada categoria de produtos, enquanto outro é o tipo “amigo do cliente”.


Entender cada personalidade que atua na loja dará um norte de quais passos adotar e de como levar o vendedor a descobrir o seu potencial e usá-lo em favor das vendas. É um trabalho a longo prazo, que vale até leitura de livros sobre liderança para alcançar melhores resultados.


Além de todas essas dicas de uma boa atuação de um Gerente de loja, é preciso também lembrar que os resultados em uma loja física são conquistados em equipe. Portanto, não se dar o mérito exclusivo de metas superadas e manter os pés no chão vai contribuir também na relação com os vendedores.


Veja também quais são as 7 dicas que todo Gerente de loja deve colocar em prática para obter resultados excelentes!


Até logo,

0

Gerentes

A experiência de uma boa trilha sonora nas lojas encantam os clientes e estimulam as compras. E a estratégia de criar uma boa playlist vai além do aumento das vendas, mas em proporcionar um ambiente adequado e que melhore a experiência dos clientes nas lojas físicas!


A música tem poder, fato. Um som relaxante acalma, já um agitado, deixa a pessoa em estado de atenção e assim por diante dentro de cada ritmo e sensação. Por isso, as playlists devem fazer parte da experiência de compra levando em consideração cada modelo de mercado. Contudo, devem ser bem dosadas para surtir o efeito nas pessoas.


Descubra neste artigo como aumentar suas vendas usando algumas técnicas para criar uma playlist perfeita para a sua loja. Conheça também opções para tocar no espaço!


Crie uma playlist de acordo com o perfil da marca e loja


Não adianta escolher um estilo sertanejo se a marca é identificada com uma postura musical mais rock’n’roll. Ou seja, tanto o som quanto, o espaço e a marca devem formar um casamento perfeito para que, assim, o efeito no aumento de vendas seja alcançado com êxito.


Você não quer afugentar os cientes da loja certo? Por isso mesmo, invista em playlists que tenham a ver com o perfil da loja. Se é infantil, de roupas masculinas femininas, calçados ou outros artigos, a trilha sonora deve condizer com cada modelo de negócio e com o perfil de clientes.


Veja só essa playlist com músicas agitadas para loja de roupas!


Conheça o seu público-alvo


O que faz toda a diferença na escolha de uma playlist adequada é o público-alvo do espaço. Além de a loja investir em músicas que tenham a ver com sua marca e posicionamento, ela também precisa saber o que os seus clientes gostam.


Também, muitas vezes, uma playlist baseada apenas no que a marca é não se comunica diretamente com o seu público. Por esse motivo, é essencial conhecer o que o público gosta, para fazer um equilíbrio perfeito entre as músicas que representam bem a marca e os clientes.


Ouça uma playlist com músicas ambiente para lojas físicas!


Conte com um profissional especializado em montar playlists, esta estratégia é um investimento forte para a experiência que você quer criar o no ponto físico.

Sempre é bom contar com uma mãozinha profissional não é mesmo? Conte com ouvidos de um expert no assunto de criação de playlists.


Esses profissionais montam, por exemplo, playlists de serviços de streaming como o Deezer e o Spotify. Para o comércio, já existem pessoas com ouvidos apurados e que estudam a jornada e perfil dos seus clientes para entender como entregar a melhor experiência através das músicas.


Ajuste o volume e aumente as vendas


O volume da música também influencia bastante o estímulo de compra no cliente. Músicas altas demais, além de atrapalharem a comunicação dentro do ambiente, causam um clima desagradável e caótico. Músicas em volume muito baixo vão dar a impressão de lugar parado, sem movimento e não causa a alegria devida.


O volume deve ser ajustado o suficiente para se espalhar pela loja toda e envolver cada cliente, sem pecar pelo excesso ou pela falta. Assim, suas vendas vão crescer cada vez mais.


Descubra uma playlist especial para o horário de abertura da loja!


Crie a acústica perfeita na loja física


Além de contar com todos os critérios para fazer suas vendas crescerem impulsionadas pela playlist certa, você deve distribuir a música pela loja física.


Pequenas caixas espalhadas pelo ambiente darão a sensação de envolvimento ao cliente. Fazendo com que a experiência do cliente se torne única e acolhedora e, da porta de entrada ao caixa, a pessoa se sinta bastante à vontade para comprar mais.


Envolva os seus clientes com essas músicas relaxantes para loja!


Além das músicas estimularem os clientes a comprarem mais, elas também ajudam os vendedores a trabalharem melhor. Afinal, eles estão no lugar o tempo todo e precisam também de estímulos para se sentirem animados e venderem mais.


Assim, fazer a playlist ideal cria o ambiente perfeito para aumentar as vendas a níveis excelentes.


Siga a Indeva no Instagram a acompanhe tudo o que acontece sobre varejo físico!


Até logo,

0

Varejo

Nada melhor do que uma boa promoção para fazer a loja dar aquele salto nas vendas. Se os tempos são de ‘vacas magras’, a loja deve ter estratégias eficazes para abastecer o caixa. Porém, é preciso ter cuidado para fazer uma oferta tão boa para o cliente quanto para o negócio.


Não é sempre que as pessoas querem comprar, por esse motivo mesmo é tradicional fazer promoções para estimular compras no varejo. Também, a loja tem sempre um produto que não girou em estoque ou que faz parte da coleção passada e que precisa ser vendido para dar espaço a novidades.


Então saiba tudo para você fazer uma ótima promoção na loja física em oito dicas essenciais!


1 – Conheça o público-alvo para direcionar a promoção


De nada adianta ter os melhores produtos, atendimento, localização, espaço físico e equipe se a loja não conhece o seu público-alvo. Esse é o primeiro passo de uma estratégia eficaz de promoções.


Conhecer as preferências, desejos e comportamentos do público fará com que você tenha uma visão mais apurada sobre que caminhos seguir com a promoção. É possível conhecer o seu público por meio de pesquisas online, no atendimento presencial e pelas redes sociais.


2 – Estabeleça prazo nas promoções


Toda promoção tem seu fim. É preciso estipular início e término da oferta por alguns motivos muito importantes. Toda ação promocional tem limite de peças e os preços não são baixos o ano todo.


Também, o prazo cria um senso de urgência no cliente. Para que ele saia de casa correndo, pensando que se não comprar naquela hora, vai perder uma ótima oportunidade.


3 – Defina o tipo de promoção


Depois de definir quando e para quem será feita a promoção, é hora de colocar em ação qual será o tipo de oferta. Há várias formas de atrair e encantar clientes com promoções diferentes. Isso também deve levar em conta o tipo de produto que será vendido, já que cada um se encaixa melhor em um modelo.


Promoção progressiva


“Compre uma peça por R$ 39 e, levando duas, a segunda sai por R$ 29”.


Você já comprou em uma promoção dessas, não é? Essa é uma maneira de agregar valor ao produto e fazer com que ele veja vantagem de levar mais peças, pois o desconto é progressivo. A loja vende mais peças e fatura mais assim. Ou seja aumenta também a performance do P.A. da loja.


Promoção convencional


“De R$ 89, por R$ 59”.


Essa promoção serve para aqueles produtos que estão encalhados e que precisam ser vendidos o quanto antes da vitrine. Lançamentos também servem para fazer esse tipo de oferta na loja física.


Além disso, este tipo de promoção convencional é bem transparente e demonstra para o cliente, de forma direta, quanto será o desconto no bolso dele!


Promoção relâmpago


“Calças no modelo chino com desconto de 50% off! Apenas hoje esta promoção!


É aquela promoção que acontece de repente e em um período muito curto. Esse tipo de oferta pega bem os consumidores que compram por impulso, que ao verem a boa vantagem de desconto coçam a mão para não perder a oportunidade.


Cupom de desconto


“Levando essa camiseta, você ganha R$ 19,00 de desconto para a sua próxima compra!”


Essa promoção serve para alavancar as vendas a curto prazo porque oferece no ato da compra um cupom de desconto para a próxima.


É importante determinar para quais produtos que a oferta é válida, bem como qual é o prazo que o cliente poderá usar o cupom. Também, se o desconto é proporcional ao valor gasto pelo cliente ou se é fixo, independente da quantia.


4 – Use um calendário em favor das promoções


Usar datas comemorativas deve ser de praxe de qualquer loja física. Dia do Amigo, Dia dos Pais, Dia das Mães, Dia das Crianças, Dia dos Namorados e tantas outras datas que precisam ser aproveitadas ao máximo, com a criação de promoções alinhadas ao momento.


Também, as campanhas promocionais que aproveitam as datas comemorativas devem ser feitas com antecedência. Assim, a loja aproveita o timing e faz as vendas nos momentos de maior busca dos clientes.


5 – Avalie os custos da promoção


Os custos devem ser avaliados de acordo com todo o mix de produtos e a campanha promocional completa, que inclui divulgação, quantidade, duração etc.


Assim, a loja consegue manter uma boa margem de lucro, melhorar a taxa de conversão e o ticket médio, de forma mais proveitosa.


6 – Prepare o estoque da loja física


Se você sabe que um lançamento ou uma linha de produtos faz mais sucesso, deve apostar mais nelas. Para isso, preparar o estoque para ter peças suficientes para atender a demanda é essencial.


Mesmo nos casos em que a promoção é para desencalhar alguns produtos que estejam há um tempão parados na loja, o varejo pode comprar itens relacionados. Assim, se o cliente entrar na loja, puxado pela oferta, mas não querer a peça por algum motivo, você tem outras opções para mostrar, aumentando as chances de vender mais.


7 – Pense no marketing


O marketing deve ser aliado estratégico na hora de fazer a promoção. Pensar em quais canais de venda serão feitas as divulgações de ofertas, produtos e tudo o que envolver as ofertas da loja física é primordial.


O marketing deve ficar em contato direto com o cliente, mensurar os resultados, calcular as melhores estratégias e fazer a loja vender muito.


8 – Analise os resultados


Com a oferta feita e finalizada, todos estão na loja cansados de tanto vender, mas com aquele sorriso no rosto porque o lucro está lá no alto. Calma, ainda há trabalho a fazer, porque é preciso avaliar os resultados das vendas.


Essa é uma etapa tanto de enxergar erros e acertos na campanha feita quanto preparar a loja para as próximas. Seja você gerente ou dono da loja, deve observar o gráfico das vendas, das melhores às piores e às medianas.


Qual o produto foi mais vendido? Qual foi o maior mark up? Qual foi a categoria de item menos comprada? Quais foram os locais da loja que mais atraíram os clientes? Que dia houve mais vendas? Qual o melhor horário para lançar as promoções?


Todas as respostas para as questões acima e muitas outras estão nos relatórios de vendas que a loja vai ter ao final da promoção. Assim, com os resultados em mão, você pode preparar melhor suas próximas ofertas, corrigir erros e reforçar as ideias que tiveram os melhores retornos.


Para fechar com chave de ouro esse post, sempre acompanhe as maiores tendências do nicho em que atua, assim, você pode agregar esse recurso nas promoções.


Confira também mais 4 dicas para melhorar as vendas na loja física!


Gostou? Deixe seus comentários aqui embaixo 👇


Até logo,

0

Franqueados

Você já viu essa cena: um cliente entra na loja, quer ver um produto e pergunta seu preço. O vendedor lhe responde, o consumidor acha caro e vai embora sem levar nada. Essa imagem — infelizmente — corriqueira pode ser totalmente inversa se você aplicar a lei do contraste para a loja física.


Convencer um cliente a comprar vai além de ter o melhor produto para o que ele precisa ou mesmo deseja: envolve persuadi-lo para só então concretizar a venda. Nesse processo o cliente pode ter objeções, que exigem técnicas para contorná-las.


Há uma série de recursos para persuasão, que fazem com que o cliente não mude de ideia e leve sim o produto. Aprenda neste artigo, o que é a lei do contraste e como aplicá-la em seu negócio!


O que é a lei de contraste?


A lei do contraste, em vendas, é oferecer um produto de maior valor, superior ao que o cliente deseja naquele momento. Porém, o “xeque-mate” dessa técnica é apresentar-lhe uma segunda opção de produto, com preço inferior.


Esse método de ofertar um produto de maior valor e depois um menor é feito para convencer o cliente de que a segunda opção é de menor investimento. Isso faz com que ele compre de sua loja.


Explicamos como a lei do contraste funciona no psicológico do cliente: ao indicar um produto de maior investimento, você cria uma referência, um “ponto de atenção”. Contudo, ao mostrar um artigo de menor investimento, você reforça a impressão de que o segundo preço é muito mais em conta.


Essa técnica reforça a ideia do benefício e do investimento mais baixo, por algo que atenda ao que ele procura.


Na maior parte das vezes, a lei do contraste funciona e aumenta bastante as vendas de seu negócio, sem recorrer a fazer promoções ou dar descontos para o cliente.


Como a lei do contraste pode ser usada para vender mais?


Para aplicar a lei do contraste, é importante que toda a equipe de vendas e a loja estejam preparadas.


Portanto, explicar qual será a nova estratégia de vendas que o time deverá adotar é essencial. Ainda, a loja também deve ser organizada, da vitrine ao caixa, com produtos de maior investimento com destaque na exposição.


Assim, os clientes entrarão ao espaço interessados nos produtos de maior investimento e, ao ter uma objeção, os vendedores usam a técnica do contraste. Assim, o cliente vai sair cheio de sacolas nas mãos e a loja vai aumentar a taxa de conversão.


Como usar a lei do contraste na prática, na loja física


Se um cliente entra à loja e, por exemplo, quer olhar jaquetas, o vendedor pode mostrar uma de R$ 250. Em seguida, ele mostra outra opção da mesma categoria, falando sobre as qualidades do produto, com preço de R$ 150.


Isso cria imediatamente a impressão de que a segunda jaqueta está com um ótimo preço, estimulando o cliente a levá-la.


Utilizar a lei do contraste deve ser tarefa diária da equipe, que deve identificar oportunidades que exijam esse recurso. Assim, as vendas da loja serão cada vez melhores e os clientes terão ótimos motivos para voltar a comprar na sua loja.


Veja também outros recursos que você deve aplicar para aumentar a lucratividade da sua rede de franquias!


Até logo,

0

Gerentes

Gerenciar uma loja física exige a orientação da equipe de vendas para o alcance das metas. Para guiar o time, é essencial fazer um bom planejamento e alinhamento. Contudo, há vários pontos que devem ser considerados para fazer uma reunião produtiva.


Fazer uma reunião assertiva de equipe exige uma série de passos que um gerente deve ter, para não perder nem seu tempo e nem o da equipe. Assim, o líder passa uma mensagem clara e objetiva, para que todos tirem dúvidas e apresentem novas ideias.


Descubra neste blogpost, como você deve planejar uma reunião de vendas na loja e realizá-la, garantindo melhorias de produtividade e eficiência!


Equilibrar o autoritarismo X democracia na reunião da loja física


Reuniões são momentos em que há sempre dois lados: o do autoritarismo e o da democracia. Distinguir cada um desses pontos é importante, pois, caso a balança pese mais para um ou outro, a reunião não será nada produtiva.


Autoritarismo

No lado do autoritarismo, centralizar todo o discurso e reter todas as informações faz com que os funcionários se sintam sem espaço para contribuir. Assim, eles ficarão com uma má impressão da gerência e de como a loja lida com seus colaboradores. Sem contar que esse é um dos principais motivos que deixa uma reunião frustrante.


Democracia

No lado democrático, os colaboradores podem expor suas ideias, fazer sugestões e dar feedbacks, para trazer mais pontos de vista sobre os tópicos abordados. Fatores que colaboram para que o gerente tenha um panorama sobre erros e acertos da loja, elaborando melhores estratégias para melhorias.


Como ponderar os dois lados

Entretanto, em alguns momentos um gerente deve assumir um papel autoritário, estabelecendo que alguns pontos de uma reunião não serão abertos “para votação”. Contudo, em outros aspectos, a gerência deve ser democrática e buscar opiniões diversas.


Ou seja, um gerente deve buscar o equilíbrio nessa balança para que a reunião seja, de fato, produtiva.


Planejar a pauta da reunião


Fazer uma reunião produtiva em uma loja física exige que você delimite uma pauta com todos os tópicos, com certa antecedência. Desta forma, você garante que apenas os pontos selecionados serão discutidos.


Apresentação de novos colaboradores e a saída de outros

Quando a loja contrata novos vendedores, você deve reunir todos da loja física para fazer as boas-vindas ao novo colaborador. Ainda, deve ser oferecido um espaço curto na reunião para a pessoa nova se apresentar aos colegas.


O mesmo momento é propício para avisar a equipe sobre quando um funcionário já não faz mais parte do quadro interno. É papel sempre do gerente comunicar o time da loja física sobre a saída de um funcionário, sem revelar detalhes e motivos — o anúncio deve ser breve e objetivo.


Falta de produtos, apresentação de novos produtos

Ao mesmo tempo em que a loja física começa a trabalhar com um produto novo, a equipe deve ser informada na reunião. Dedicar um tempo a esse tópico é importante para esclarecer todas as características e qualidades do produto.


Também, a equipe deve ser alertada sobre a falta de produtos na loja e previsão de recebimento de mercadorias. Por isso, fazer a gestão de estoque para ter sempre o produto em qualquer momento, é essencial.


Técnicas de vendas e atendimento ao cliente

As técnicas de vendas e atendimento ao cliente em lojas físicas sempre devem ser reforçadas e atualizadas em reuniões específicas. Você pode dedicar reuniões inteiras a esse assunto, já que precisam de tempo mais extenso para apresentar os métodos.


Simulações devem ser feitas, para exemplificar as técnicas e trazer para a prática, situações que vão acontecer com qualquer membro da equipe de vendas. Esse preparo garante mais segurança e confiança aos colaboradores e mostra também a preocupação da loja com os vendedores.


Alterações de procedimentos e regras

Esse assunto é um dos mais importantes, portanto deve ser um dos primeiros a serem abordados numa reunião de loja física. Tudo referente às políticas internas precisa ser sempre comunicado, para evitar o famoso “ninguém me avisou” ou “eu não sabia”.


Reconhecimento coletivo e individual

Elogie em público e critique em particular. Essa máxima funciona em qualquer ambiente e não seria diferente na loja física.


Esse feedback pode ser feito ao final da reunião, para deixar a equipe ou o funcionário prestigiado com a ideia reforçada. O que dá um ânimo a mais para ele conquistar mais metas e trabalhar melhor.


Promoções, brindes e descontos

Promoções, descontos e brindes devem ser informados a todos da equipe logo no início da reunião. Especificar quantidade do produto em estoque, detalhes da promoção e condições de descontos é imprescindível para evitar erros da equipe.


Metas, desafios e bônus

Incluir metas, desafios, bônus e premiações para a equipe é ótimo para que todos se empenhem em vender mais. Esse tópico deve ser muito bem definido entre gerência e direção da loja, para ter respostas para dúvidas que inevitavelmente vão aparecer.


Você também precisa se preparar para trazer informações e argumentos convincentes, para lidar com possíveis objeções ou reclamações da equipe.


Brainstorm

Uma reunião serve como um grande encontro para um brainstorm em uma loja física. Esse recurso abre espaço para toda a equipe trazer novas ideias e discutir melhorias para o local.


Para fazer um brainstorm de sucesso, comunique com antecedência aos colaboradores — avise ao final da reunião anterior. Sejam sugestões para melhorar a vitrine, organizar o estoque ou expor os produtos, o brainstorm deve levantar a opinião de todos.


Estipular o tempo de duração

O tempo de duração de uma reunião de loja física é muito importante, afinal, com a correria do dia a dia de trabalho em um varejo físico, não é fácil reservar esse momento. Para isso, deve-se planejar com antecedência os pontos a serem abordados na reunião, sua duração máxima e o tempo de cada tópico.


Uma reunião produtiva de loja física, em média, deve ser de até 40 minutos, porém, esse tempo é para uma reunião mensal. Reuniões em que os assuntos sejam de rápida orientação devem ser curtas, para a otimizar e tornar a hora eficiente.


Um gerente ainda deve se ater que, ao estabelecer um tempo de reunião, deverá cumpri-lo com assiduidade, começando e terminando no horário estipulado. Isso mostra controle da situação e respeito a todos da equipe.


Ainda, assuntos que não façam parte do que foi definido para a reunião, ou feedbacks e críticas que surgirem na hora, devem ser “cortados” do momento. Esses assuntos periféricos atrapalham a produtividade da reunião e podem ser abordados em outro meeting.


Determinar uma frequência


Nem todas as reuniões são iguais, tanto em tempo e assuntos, por isso mesmo você deve fazer uma organização de cronogramas, baseando-se nesses aspectos.


Uma reunião semanal é suficiente para colocar os assuntos mais prioritários em dia, como informar a equipe sobre novidades da loja, normas e produtos. Já assuntos que devem ser reforçados e não tem tanta urgência podem ser distribuídos durante o mês, em pequenos encontros com a equipe.


Dúvidas, feedbacks e sugestões podem ficar para reuniões curtas, após ou antes de uma reunião mais longa. Assim, a equipe e você têm tempo de se organizar e pensar mais, para trazer melhorias para a loja.


Diante de todo esses pontos sobre como planejar e realizar uma reunião produtiva de loja física, fica mais simples e objetivo conduzir esse momento com a equipe. Ainda, é papel do Gerente registrar todos os feedbacks sobre os pontos de melhorias e levantá-los nas reuniões seguintes.


Esse acompanhamento ajuda você a criar planos de ação mais consistentes e identificar com facilidade, todos os resultados das melhorias na loja física. Além de constatar erros e eliminá-los de vez da loja.


Curtiu o conteúdo? Acompanhe as novidades no blog pelas redes sociais, siga-nos no Instagram!


Até logo,

0

PREVIOUS POSTSPage 1 of 3NO NEW POSTS